Amar Demais... Um Erro!

Amar Demais... Um Erro!

domingo, 19 de junho de 2011

Você precisa deste comportamento?

Repetimos modelos de comportamentos autodestrutivos porque não fazemos da experiência pessoal uma oportunidade de aprendizado.
 
Certamente você conhece alguém que já se meteu em dezenas de ‘trapalhadas’ e ainda assim não aprendeu a lição. Quando uma pessoa costuma repetir erros com uma frequência acima do normal e do aceitável dentro de um processo de crescimento pessoal, é hora de analisar modelos de comportamentos limitantes e abandoná-los.

Alguns envelhecem e lá estão cometendo o mesmo erro. Alguém sabe responder por que sempre batemos na mesma tecla? Conseguimos apontar comportamentos autodestrutivos nos outros, mas em nós... Apenas fazemos crescer o próprio currículo de decepções.

Repetir modelos de comportamentos é uma tendência humana e uma pessoa dificilmente consegue perceber aquilo que faz frequentemente. O psicólogo behaviorista John Watson, ajudou a criar a controvertida corrente da psicologia e afirma que nossas atitudes são condicionadas mais pelas respostas que recebemos do mundo ao nosso redor e menos pela qualidade do nosso pensamento.

“Quando ouço uma mãe dizer ‘ai, coitadinha!’ quando a criança cai ou quando lhe acontece alguma outra coisa ruim, costumo caminhar uma quadra para me acalmar”, escreveu. Segundo o psicólogo, quando a mãe tenta amenizar a dor com carinho, ela está privando a criança de aprender com o próprio sofrimento.

Uma questão para se pensar é: ‘todos nós somos repetidores de padrões autodestrutivos? Aliás, você consegue identificar em si, atitudes que comprovam a existência de comportamentos reprováveis? Pode ter sido aquela vez que deixou as coisas para a última hora ou utilizou o seu cartão de crédito por impulso.

Atitudes repetidas geram padrões de comportamentos e o mais importante é fazer da experiência pessoal uma oportunidade de aprendizado. Repetimos comportamentos inconvenientes porque procuramos a explicação em lugares errados, racionalizamos quando precisamos apenas observar ou deixamos a ansiedade tomar conta, quando o momento necessitava de uma autoreflexão.

Já que é tão difícil eliminar comportamentos repetitivos limitantes, o melhor que podemos fazer é continuar buscando aprendizado diário. Já dizia Leonardo da Vinci: “Aprender é a única coisa de que a mente nunca se cansa, nunca tem medo e nunca se arrepende”.

Fonte: http://www.1234voce.com.br/blog/index.php?pageNum_blog=19&totalRows_blog=1487

3 comentários:

  1. Da Vinci tinha toda razão. Lendo o seu texto, acabei refletindo sobre um monte de coisas que vivo repetindo como deixar tudo pra última hora. Rsrsrs! Valeu.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. olá
    estou aki
    nao sumi nao
    flw
    http://novalexandrianet.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Bela postagem

    http://vegans-vegetarianos.blogspot.com

    Luís

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...